A pia de bronze

A pia era o segundo objeto no átrio do tabernáculo. Estava entre o altar do holocausto e o Lugar Santo. A diferença dos outros artefatos e móveis do tabernáculo, é que não se especificam suas dimensões. Só diz que era de bronze, e que os sacerdotes deviam lavar suas mãos e pés nela para que não morressem enquanto realizavam seu serviço no tabernáculo.

Em outro lugar diz que foi feito como espelhos das mulheres de Israel (Êx. 38:8). Isto mostra uma ação maravilhosa de generosidade com as mulheres, e uma renúncia importante. Por outro lado, é interessante que um espelho reflete ao que se olha, mas não pode alterar sua figura. Revela a contaminação, mas não pode tirá-la. Assim é também a lei. Sem a graça, o crente fica na metade do caminho.

A fonte estava cheia de água, para que os sacerdotes lavassem as mãos e os pés quando entravam no Lugar Santo para adorar, quando saíam ao altar para servir. Isto nos fala da obra que faz em nós a Palavra e o Espírito de Deus. É cotidiana e absolutamente necessária.

Havia duas classes de lavagem: Primeiro, a que se fazia para consagrar os sacerdotes. Este lavar se fazia uma vez e para sempre (Em Êx. 29:4, refere-se ao lavar de todo o corpo), e corresponde ao "lavar da regeneração" (Tito 3:5) do Espírito, pelo qual nascemos de novo. O segundo, era o lavar constante, porque diariamente eles se sujavam realizando os ofícios de seu ministério.

Nenhum sacerdote podia ministrar sem lavar-se. Isto é uma verdade aplicável não só àqueles no Antigo Pacto, mas também a todos os sacerdotes de Deus, passados e presente. O pó sujava suas mãos e seus pés; da mesma maneira ocorre com os crentes hoje. Para tal caso, Deus tem provido o lavar da água pela Palavra. "Vós estais limpos pela palavra que lhes tenho falado", disse o Senhor a seus discípulos (João 15:3). "Cristo amou à igreja, e se entregou a si mesmo por ela, para santificá-la, havendo-a purificado pelo lavar da água pela palavra" (Ef. 5:25-26).

Os sacerdotes tinham o direito de ministrar ao Senhor porque estavam habilitados pelo sangue do sacrifício, mas para poder exercer esse direito precisavam a água do lavar. O sangue de Cristo nos limpa de nossos pecados, no entanto, a água nos limpa do pó do deserto deste mundo.

O cristão tem que caminhar na luz, julgando seus antigos hábitos, e limpando-se de todas as suas obras e caminhos por meio da Palavra de Deus, se é que quer ter comunhão com Deus. A Palavra é o meio pelo qual o Senhor conserva a seu povo limpo, com uma comunhão fresca, pura.

Do lado do Senhor Jesus Cristo na cruz saiu sangue e água, e que reúnem dois aspectos da salvação de Deus. Sangue para a reconciliação com Deus, e a água para limpeza, comunhão e para ministrar diante de Deus.

Diseņo descargado desde plantillas web gratis y profesionales.