A verdade no íntimo

"Eis aqui, tu amas a verdade no íntimo..." (Salmos 51:6).

A vida humana se desdobra em dois âmbitos muito diferentes. Um é no âmbito privado, e o outro, o público, social. Esta dupla dimensão de nossa vida está acostumada a ter alguns pontos de encontro, e, certamente, muitos de desencontro. Quer dizer, não somos no privado o mesmo que em público.

O Senhor Jesus dizia dos fariseus: "Tudo o que lhes digam que guardem, guardem e façam; mas não façam conforme as suas obras, porque dizem e não fazem" (Mat. 23:3). O "dizer" aqui é primordialmente público, e o "fazer" é privado. O que eles pregavam como bom, em público, não o aplicavam à sua conduta no íntimo. Faziam em público só o que era socialmente aceito; mas no privado eram como sepulcros que abrigam "ossos de mortos e toda imundície".

Fazer que coincidam o íntimo e o público, é um assunto muito difícil – impossível para o homem natural. O rei David o comprovou quando pecou contra Deus com referência a Betsabé e Urías. Ele comprovou que no íntimo abrigava tendências pecaminosas que eram extraordinariamente perigosas. Provavelmente nunca pensou até onde essas tendências o podiam levar, tal era o extremo de sua pecaminosidade. Teve que cair em um vergonhoso adultério, e em um homicídio cruel, para dar-se conta de sua espantosa realidade, quer dizer, do duplo padrão de sua personalidade, e de quão interessado está Deus em ambos os aspectos.

Por outro lado, para um servo de Deus, o conhecimento da santidade de Deus, não pode ser um mero conhecimento doutrinário de um dos atributos de Deus, mas sim a experiência diária de andar em santidade, pois essa santidade lhe foi comunicada pelo Espírito Santo que foi derramada nele.

"Sede Santos, porque eu sou santo" recorda-nos e admoesta o apóstolo (1ª Ped. 1:16). Mas, quão santo é Deus? A medida de sua santidade é desconhecida por nós, porque nascemos em pecado, e em pecado nos concebeu nossa mãe. Em nosso caminhar com Deus vamos aprendendo quão santo é Deus. Haverá momentos em que ficaremos abismados por essa santidade, será como quando nossos olhos vêem uma luz que nos cega e que nos impede, por algum tempo, de caminhar. O conhecimento da santidade de Deus nos faz ver quão pecadores somos.

Deus trabalhará em nós até que vivamos a santidade em todas as áreas de nossa vida, pois ele ama a verdade no íntimo. Talvez virão muitos golpes antes de alcançar esta medida; haverá muitas colheitas de morte, muitas lágrimas amargas por pecados cometidos. Mas, finalmente, ele obterá seu propósito. Porque aquele que começou em nós a boa obra, a aperfeiçoará até o dia de Jesus Cristo.

Design downloaded from free website templates.