A Trindade presente

A declaração que começa em Efésios 1:3 e termina em 1:14, segundo W. Hendriksen, "...avança rodando como uma bola de neve por uma ladeira, crescendo em volume à medida que desce. As suas 202 palavras e os abundantes qualificativos que elas formam, ordenados como telhas em um telhado ou como degraus em uma escada, são como empinados corcéis que ao serem libertados se lançam com impetuosa velocidade".

Do que tratam esses 12 versículos e 202 palavras? Eles nos mostram a preciosa obra que o Pai, o Filho e o Espírito têm feito a favor do crente. Ali nos diz que o Pai nos abençoou em Cristo nos lugares celestiais, que nos escolheu em Cristo antes da fundação do mundo, que nos predestinou para a filiação como seus filhos por meio de Jesus Cristo, e que nos fez aceitos em Cristo (vv. 3-6). Tudo isto, antes que nós tivéssemos a mais ínfima consciência do que Deus estava fazendo por nós. E tudo isto é "em Cristo". Esta pequena frase aparece mais de cem vezes nos escritos de Paulo; só neste parágrafo aparece 11 vezes. Nada nos concedeu fora de Cristo, porque a vontade do Pai é concentrar tudo nele, para que em tudo tenha a preeminência.

Nesta "escada de muitos degraus", temos também a obra do Filho de Deus. Em Cristo temos a redenção por seu sangue, o perdão dos pecados. A redenção é a libertação como resultado de um resgate. O perdão, no entanto, é obtido pela redenção. Redenção e perdão andam juntos. Tal como na expiação de Levítico 16. Ali, um cabrito macho representa a redenção, o outro, o perdão. Um morre, e o outro, vivo, leva os seus pecados para o deserto.

Em Cristo também nos deu sabedoria e inteligência espiritual para conhecer o mistério da vontade de Deus. Sem sabedoria e inteligência espiritual não podemos compreender nada proveniente de Deus.

Qual é o mistério da vontade de Deus? Reunir todas as coisas em Cristo, ou, como traduz Hendriksen, reunir "todas as coisas sob uma cabeça em Cristo". Literalmente, isto significa, como explica este mesmo autor: "Todas as coisas, as coisas do céu, na terra, sobre nós, ao nosso redor, dentro de nós, debaixo de nós, todo o que é material, foram colocados agora sob o domínio de Cristo".

Em Cristo também temos herança; quer dizer, ele mesmo é a nossa herança, a terra preciosa na qual nos caíram as sortes. De modo que podemos dizer com o Salmista: "...coube-me uma formosa herança" (16:6 b). E o que temos do Espírito Santo? Temos o selo, que é a garantia de posse, o aval de segurança, o certificado de autenticidade, e o adiantamento da herança completa. Assim, como alguém tem dito, o Pai planeja (vv. 3-5), o Filho executa (vv. 6-12), e o Espírito aplica o anterior no coração dos crentes (vv. 13-14). Maravilhosa conjunção de favores!

Design downloaded from free website templates.