Santificação: passada, presente e futura

"Porque Deus, que mandou que das trevas resplandecesse a luz, é o que resplandeceu em nossos corações, para iluminação do conhecimento da glória de Deus na face de Jesus Cristo" (2ª Cor. 4:6).

Assim como o próprio Senhor separou o Seu povo do Egito, ele nos separa da potestade das trevas, do presente século mau e da escravidão do pecado para Si mesmo.

O Anjo de Jeová apareceu a Moisés quando ele estava em Midiã. O povo de Israel ainda não sabia o que Deus iria fazer por eles, mas Jeová, por meio do Seu Anjo, falou com Moisés: "Não te aproxime; tira o teu calçado dos seus pés, porque o lugar em que você está é terra santa" (Ex. 3:5, primeira ocorrência da palavra 'santo'). Deus santificou um pedaço de terra para falar com Moisés. Em seguida, Deus separaria Moisés de Midiã para tirar o seu povo do Egito. Assim é conosco. Deus, em sua eterna sabedoria e misericórdia, nos escolheu em santificação do Espírito (1ª P. 1:2), inclusive antes de nos darmos conta do Seu amor e propósito.

Ao preparar o povo para sair do Egito, Deus ordenou sobre a páscoa: "Sete dias comereis pães sem levedura… O primeiro dia haverá santa convocação, e deste modo no sétimo... porque neste mesmo dia tirei vossos exércitos da terra do Egito" (Ex. 12:15-17, segunda ocorrência da palavra "santo"). Depois da morte de muitos cordeiros, durante aquela primeira páscoa, Jeová separou o Seu povo do Egito para Si mesmo. O preço foi o sangue de muitos cordeiros e o selo da Sua redenção –e que ensinaria ao povo que ela era irreversível–, foi fazê-los passar em seco pelo Mar Vermelho e lançar nele os carros de Faraó e o seu exército. Assim é conosco: "...pelo qual também Jesus, para santificar o povo mediante o seu próprio sangue, padeceu fora da porta" (Heb. 13:12). Pelo sangue do Senhor somos santificados, de maneira que a santificação do Espírito, determinada por Deus na eternidade passada, torna-se uma viva realidade para o crente.

Pouco depois de cruzar o Mar Vermelho, Jeová os ensinaria que a grande e definitiva separação efetuada por ele deveria manifestar-se: "Porque eu sou Jeová, que os faço subir da terra do Egito para ser o seu Deus: serão, pois, santos, porque eu sou santo" (Lev. 11:45). E não é diferente conosco, pois há um aspecto presente e contínuo na santificação, como podemos receber pela bendita oração do Senhor por seus discípulos: "Santifica-os em tua verdade; a tua palavra é a verdade" (Jo. 17:17).

Os aspectos passados e presentes da nossa santificação apontam para algo glorioso: "…mas [Deus nos disciplina] para o que nos é proveitoso, para que participemos da sua santidade" (Heb. 12:10), pois a santidade de Deus é cheia de glória.

Deus, nos dias passados, resplandeceu em nossos corações e nos separou para Si mesmo. No presente, ele nos ilumina, santifica e purifica por sua Palavra. Quando ele se manifestar, o veremos como ele é, e conheceremos a glória de Deus na face de Jesus Cristo. Obrigado Pai, por sua obra de santificação!

Design downloaded from free website templates.