Enviado e amigo

"Vós mesmos me sois testemunhas de que disse: Eu não sou o Cristo, mas sou enviado adiante dele. Quem tem a esposa, é o esposo; mas o amigo do esposo, que está ao seu lado e lhe ouve, alegra-se grandemente da voz do esposo; assim, este meu gozo está completo" (João 3:28-29).

Nas palavras de João 3: 28-29 há duas auto-referências de João Batista: diz ser "enviado" diante de Jesus, e "amigo do esposo". Quando os judeus enviaram mensageiros a João para lhe consultar quem era ele, ele lhes respondeu que só era um enviado e não o Cristo. João tinha muito claro a missão pela qual tinha nascido. Ele vinha como precursor do Messias para preparar o caminho adiante dele, não para fazer um caminho para si mesmo. Conseqüentemente, João se localiza no correto lugar diante do Senhor.

João disse também: "Eu sou a voz de alguém que clama no deserto: Endireitai o caminho do Senhor, como disse o profeta Isaías" (Jo. 1:23). Lucas cita extensamente a profecia de Isaías, que se aplicou inteiramente a João (3:4-6). Três vezes disse que o que vinha depois dele era antes dele, e que ele não era digno de desatar a correia do seu calçado. (Jo. 1:15, 27, 30).

A outra auto-referência é a de João como o "amigo do esposo". Declarar-se a si mesmo como o amigo do esposo supõe a existência de umas bodas, de um Esposo e uma esposa. Vemos, pois, como João, até antes da revelação paulina sobre a igreja (em Efésios 5), já tinha esta luz a respeito. E como amigo, o seu gozo é que o Esposo tenha à esposa.

João mostra a beleza do seu caráter ao adicionar em seguida: "É necessário que ele cresça, mas que eu míngüe" (Jo. 3:30). Este é o caráter de João, e nisto é um exemplo para todos os servos de Deus. Ainda que eles sejam também parte do corpo de Cristo –desta noiva celestial–, em certo modo não o são, mas meros casamenteiros, amigos do Esposo, que se alegram em lhe entregar uma Esposa bem disposta.

Paulo dizia aos Coríntios: "Porque vos zelo com zelo de Deus; pois vos tenho desposado com um só esposo, para lhes apresentar como uma virgem pura a Cristo" (2ª Cor. 11:2). Paulo, do mesmo modo que João via-se a si mesmo como um casamenteiro, cuja missão se limitava a apresentar ao Esposo uma virgem pura como esposa – a igreja.

Tanto o ser enviado como o ser amigo do esposo supõe ter a Outro como o centro da atenção. Não é o enviado o centro, nem tampouco o amigo. Tanto um como o outro se dedicam a Outro, do qual dão testemunho, e o qual procuram agradar.

Nos dias presentes precisamos nos inclinar diante do Senhor para alcançar graça e misericórdia, a fim de que possamos cumprir esta missão de casamenteiros "com zelo de Deus". A tendência de centrar tudo em si mesmo é muito grande, ainda mais se houver quem segue e bajulam os servos de Deus. Um homem como João, ou como Paulo, tinham sido preparados por Deus para resistir esta tentação. A preparação de João e de Paulo tinha ocorrido no deserto – o lugar propício para ser despido de toda pretensão pessoal, de toda vaidade e orgulho.

Design downloaded from free website templates.