É a morte o fim de tudo?

A julgar pela forma como muitos vivem, parece que a morte é o fim de tudo. Eles fazem tesouros na terra, amontoam riquezas, procuram o prazer, vivem segundo o princípio latino do 'carpe diem' (colha o dia, viva hoje).

Há outros que sabem que a morte não é o fim, mas vivem como se fora. Eles adiam procurar a Deus. Esperam um melhor momento futuro, talvez quando forem velhos, e os prazeres da vida já não lhes atraiam. Parece como se eles tivessem a vida comprada e pudesse dispor dela sem restrições. No entanto, muitos deles morrem antes de poder pensar.

O que diz a Bíblia a respeito? A Bíblia nos abre algumas janelas mais além. Nela é contada a história de um rico cuja herdade tinha produzido muito. Enriqueceu-se tanto, que os seus celeiros se fizeram pequenos. Então disse: "Os edificarei maiores, e ali guardarei todos os meus frutos e os meus bens; e direi a minha alma: Alma, muitos bens tens guardado para muitos anos; repousa-te, come, bebe, regozija-te. Mas Deus lhe disse: Néscio, esta noite te pedirão a tua alma; e o que tens preparado para quem será?" (Lc. 12:13-21).

Em outro lugar temos a história do rico e Lázaro, um mendigo que se sentava à porta daquele, pedindo esmola. Ambos morrem, e as suas almas não desaparecem nem dormem, mas vão para lugares muito definidos. Lázaro vai para o "seio de Abraão", entretanto, o rico vai para um lugar de torturas. Ali cada um tem uma sorte muito diferente. (Lc. 16:19-31). A história de ambos não termina no túmulo.

Em outro lugar é registrado um episódio em que uns saduceus perguntam ao Senhor Jesus a respeito da ressurreição dos mortos. Eles não crêem em tal coisa, mas o Senhor mostra-lhes que existe a ressurreição. Aqueles que ressuscitam o Senhor diz: "Já não podem mais morrer, pois são iguais aos anjos", e em seguida acrescenta: "Porque Deus não é Deus de mortos, mas sim de vivos, porque para ele todos vivem" (Lc. 20:27-38). A ressurreição está além da morte.

A morte não é o fim de tudo. A Bíblia diz, além disso, que "está estabelecido para os homens morrerem uma só vez, e depois disto o juízo" (Heb. 9:27). Em Apocalipse é mostrado o juízo diante do magnífico trono branco, "diante do qual fugiram a terra e o céu". João diz: "E vi os mortos, grandes e pequenos, em pé diante de Deus; e os livros foram abertos … e foram julgados os mortos pelas coisas que estavam escritas nos livros, segundo as suas obras" (Ap. 20:11, 12). O juízo dos homens também vem depois da morte.

Portanto, a morte não é o fim; ao contrário, ela pode ser antes do tempo o começo dos verdadeiros e grandes problemas para os que hoje são incrédulos. No entanto, hoje ainda vigora o convite para receber a vida eterna, a qual é recebida gratuitamente por crer em Jesus Cristo (Rom. 6:23). Se alguém se perder, não será por seus grandes pecados, mas sim por sua incredulidade ao evangelho de Deus.

Design downloaded from free website templates.