Não há profeta com honra em sua terra

O Senhor Jesus concedeu a Nazaré uma honra que jamais os nazarenos sonharam. Sendo uma escura cidade de uma região desprezada, Nazaré hospedou durante várias décadas o Deus encarnado.

No entanto, ele não esteve ali como Deus-homem, mas sim como o Filho do Homem. Sua simplicidade foi tal, sua assimilação à condição humana foi tão perfeita, que nada fez com que os nazarenos pensassem que o filho do carpinteiro fosse o Filho de Deus. A sua exemplaridade como filho e como cidadão não foi razão suficiente, em sua cegueira, para lhes fazer conceber tão grande pensamento.

Para ele o ser homem era uma coisa da maior dignidade, mesmo que como Deus pôde tê-lo tido como coisa de pouca importância. Por isso não recusou viver a restrição de ser homem, ainda mais, de ser um homem anônimo, em uma escura cidade. Tudo isto foi uma expressão de amor e de humildade inefáveis.

No entanto, há mais notas que se acrescentam a esta maravilhosa sinfonia. Ele não só aceitou descer para viver como um nazareno, mas também aceitou ser desprezado pela cidade a que ele honrava com a sua presença. De modo que quando, logo depois de ter começado o seu ministério, ele vai a Nazaré, as pessoas se maravilham de sua sabedoria e seus milagres, mas não é capaz de encontrar a explicação para tudo isso. Antes, foi motivo de escândalo ao invés de glorificarem a Deus.

Mas na realidade, não devemos culpar Nazaré dessa cegueira, porque é a mesma cegueira de todos nós. Nós também somos nazarenos nisso, e nossa cidade também lhe recusou. Nós não teríamos agido diferente.

Mas o fato de aceitar ser recusado pelos que amava, e pelos que ele honrou com a sua presença nos mostra algo mais. Sendo ele o Homem exemplar, aceitou a humilhação maior para que nenhum homem depois dele estime como ofensa o ser recusado assim. Tudo o que ele viveu, viveu-o em grau supremo, para que ninguém pense que o seu próprio sofrimento é maior.

Há alguém que foi recusado injustamente? Jesus foi mais. Há alguém que tenha sido traído por alguém muito íntimo? Jesus foi mais. Há algum profeta desprezado entre os seus? Jesus foi mais. Assim, a soma de todas as injustiças, da recusa, do esquecimento recaiu sobre ele, para que ninguém se glorie em si mesmo, mas sim nele.

Chegará o dia em que cada cristão provará uma gota dessas coisas, uma gota de recusa, outra de traição. Mas então não haverá desculpa para recusar esse cálice; haverá um exemplo maior que olhar, para alento e esperança, para humildade e paciência. Se no lenho verde fizeram essas coisas, o que não se fará no seco? (Lc. 23:31). Assim como o Senhor Jesus foi recusado em Nazaré, cada cristão será recusado em seu meio. Em nosso caso, este será o método de Deus para fazer que pisemos em terra e não nos envanesçamos.

Design downloaded from free website templates.