A hora da revelação (1)

Mateus 16:13-17.

Passaram três anos desde que Jesus começasse o seu ministério público. Os discípulos lhe acompanharam grande parte desse tempo. Faltam só alguns meses para ir para a cruz. Eles viram ele fazer milagres, ministrar ensinos. Mas qual é o conhecimento que têm dele? Para tratar este assunto, o Senhor os leva longe do mundano ruído, para a região de Cesaréia de Filipos. Ali, perto de onde nasce o rio Jordão, o Pai fará resplandecer sobre eles uma luz tão poderosa que não se extinguiu com o passar dos séculos.

O Senhor pergunta aos seus discípulos o que as pessoas dizem que ele é. As respostas são tão variadas como erradas. Mas em seguida, o Senhor faz aos seus próprios discípulos a pergunta. Eles provavelmente teriam respondido iguais aos outros; no entanto, veio oportunamente o socorro do céu para que Pedro pudesse dar a resposta correta. Pedro diz: "Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo".

O Senhor Jesus esclarece em seguida: "Bem-aventurado és, Simão, filho de Jonas, porque não foram carne nem sangue que te revelou isso, mas sim meu Pai que está nos céus" (Mt. 16:17). Era preciso que o Senhor esclarecesse que a reposta de Pedro não era fruto do homem, não era produto da capacidade humana, nem era a conclusão lógica que se possa chegar depois de um ordenado raciocínio. É uma revelação, e por isso Pedro era um bem-aventurado. Não é de quem quer nem de quem corre, mas sim de Deus que queria revelá-lo.

Chega a hora na vida de cada cristão sincero em que o Senhor lhe confronta. O que você está crendo? A quem está seguindo? Segue a Jesus só pelo que ele faz, ou pelo que ele é? Ama-o porquê pensa que poderá crescer em sua companhia, ou porque o conhece intimamente? Esta questão não ocorreu só com os apóstolos aquele dia em Cesaréia. É algo que segue ocorrendo na vida de cada seguidor de Cristo hoje.

Sempre chega a hora da verdade, da sinceridade, longe do tumulto, dos aplausos e do aparente êxito, a sós com Cristo. O Senhor nos olha atentamente e examina a qualidade de nossa fé e das nossas motivações. Conhecemos a Jesus por meios humanos, ou por revelação de Deus?

A resposta de Pedro assinala a ele como o instrumento que Deus usaria para pôr o fundamento de sua obra, para posteriormente trazer a revelação inicial de Cristo ao coração de judeus e gentios. Quando os crentes recebem revelação de Deus a respeito de seu Filho, então estão em condições de ser usados para trazer, a seu tempo, ao coração dos homens a revelação a respeito de Cristo, e de pôr assim o fundamento para a igreja. A hora da revelação é o começo de uma nova etapa na vida de um crente.

Design downloaded from free website templates.