A hora da revelação (2)

Mateus 16:13-17.

A hora da revelação em Cesaréia de Filipos foi o começo de uma nova etapa na vida dos discípulos do Senhor. Esse dia não só o Pai deu a conhecer a Pedro quem era de verdade o Senhor Jesus, mas também, além disso, o mesmo Senhor deu outra revelação a Pedro.

O Pai abre o seu coração para que Pedro pudesse aparecer nele e ver seu amado Filho. Agora, o Senhor Jesus abre o seu próprio coração para mostrar a Pedro o que havia nele. No coração do Pai está o seu Filho; no coração do Senhor está a sua Igreja. Era o que tinha estado oculto por séculos e gerações, escondido dos sábios e dos entendidos. Agora é vertida toda essa luz, intempestivamente, sobre um punhado de singelos corações surpreendidos.

O Senhor Jesus diz a Pedro: "E eu também te digo, que tu és Pedro, e sobre esta rocha edificarei a minha igreja; e as portas do Hades não prevalecerão contra ela" (Mt. 16:18). O Senhor fala da abundância do seu coração, e isso é a Igreja. Até agora não havia tocado no tema; os discípulos não estavam preparados para receber esta luz.

No entanto, a partir deste momento, começa a contagem regressiva para a cruz. Aqui parte a grande jornada que acabará sobre o madeiro do Gólgota. E esta jornada começa com a dupla revelação.

Atrás ficou o tempo da aprendizagem na Galiléia (recordemos que, segundo o relato de Mateus, esta revelação ocorre imediatamente antes dele ir a Judéia). Agora ele firmou o seu propósito de subir a Jerusalém. Tudo o que tinha vivido até aqui foi um caminho fácil (embora não tenha sido) comparado com o que virá. Junto com a revelação de Cristo e da Igreja vem a cruz. A cruz faz possível que Jesus seja o Cristo; a cruz fará possível que um grupo de homens e mulheres seja a Igreja.

Agora, como será edificada a Igreja? O primeiro que fica claro pelas palavras do Senhor é o seu fundamento. Ela tem um firme fundamento, que é Cristo revelado e confessado pelos homens. Esta revelação que o Pai concede é de tal valor e qualidade, que chega a ser a pedra angular do edifício de Deus. Não é Pedro, nem nada referido aos homens; mas sim a Rocha dos séculos, Jesus Cristo.

O segundo é que, sendo uma Pedra o seu fundamento, a construção também é do mesmo material. O mesmo Pedro em sua primeira Epístola afirma isto claramente. Quem mais autorizado do que ele para dizê-lo? "Achegando-vos para ele, pedra viva … vós também, como pedras vivas, sois edificados…" (2:4-5). Pedro tinha a oportunidade de pregar a si mesmo como pedra, mas não o fez, porque bem sabia que não era.

Um edifício maravilhoso, com o fundamento mais firme, com as pedras da melhor qualidade, isso é a Igreja. Se algo não tiver este fundamento, nem esta qualidade de materiais, e que diz ser Igreja, poderá sê-lo?

Design downloaded from free website templates.