Gozo na tribulação

"Meus irmãos, tenham por grande gozo…" (Tiago 1:2).

O Senhor nos ensina neste texto das Escrituras que o tempo das provações ou das tribulações –como dizem algumas versões– é um tempo de motivação; e esta motivação traz grande gozo. Mas como estar motivado no tempo da tribulação se isso nos traz tristeza, inquietação e angústia?

No tempo da tribulação caímos em lágrimas diante do Senhor para que nos abençoe, liberte-nos, e, claro, não há motivação em nada disso. Sempre que eu entrava em tribulação clamava a Deus para que me libertasse, pensando que a bênção estava na libertação, mas não está nela. A libertação da tribulação é o nosso prejuízo, mas gozar do que ela proporciona é a bênção. "Meus irmãos, tende grande gozo quando cairdes em várias provações; sabendo que a prova da vossa fé produz a paciência" (Tg. 1:2-3).

O motivo pelo qual pedimos a Deus a libertação é a falta de sabedoria. Se não entendemos quando passamos por essas tribulações ou provações, é preciso pedir a Deus que nos dê sabedoria, e não libertação. Sabedoria, porque elas fazem parte da vida cristã, e são as que nos aperfeiçoam. "Mas tenha a paciência a sua obra completa, para que sejais perfeitos e completos, sem que lhes falte coisa alguma. E se algum de vós tem falta de sabedoria, peça-a a Deus, o qual dá a todos abundantemente e sem censura, e lhe será dada" (Tg. 1:4-5).

Todo ensino tem a sua origem na doutrina, e é assim que Deus faz conosco. O ensino vem pela palavra profética (1ª Cor. 14:3), e depois de ensinados, precisamos passar pela prova prática. "O crisol para a prata, e a fornalha para o ouro; mas o Senhor prova os corações" (Prov.17:3). Deus prova o justo e o ímpio, embora o ímpio seja sempre reprovado (Sal. 11:5).

Ao contrário do ímpio, o justo, depois de aprovado, receberá uma recompensa eterna. "Bem-aventurado o varão que suporta a tentação; porque depois de resistir a provação, receberá a coroa de vida, que Deus prometeu aos que lhe amam" (Tg. 1:12); portanto, a provação é um exercício bendito de Deus, dado para que, depois de termos ouvido a sua Palavra, ela não seja só um ensino teórico, mas sim passe a ser vida em nós (Rom. 5:3-5).

Qual tem sido a sua atitude diante das tribulações que Deus te concede? Clamar a Deus para te libertar delas, ou elas tem sido motivo de gozo para você? Caso não seja de gozo, peça a Deus sabedoria. "E o Deus de toda a graça, que em Cristo Jesus vos chamou à sua eterna glória, depois de haverdes padecido um pouco, ele mesmo vos aperfeiçoará, confirmará, fortificará e fortalecerá" (1ª Ped. 5:10).

Design downloaded from free website templates.