O caminho do quebrantamento

Quando o Senhor Jesus iniciou o seu ministério, ele chamou os seus doze apóstolos, depois muitos discípulos o seguiram. Andando com Jesus eles começaram a ouvir sobre o reino dos céus e sentiram-se superiores, afinal eles eram os que seguiam o Messias.

Eles tinham aprendido desde criança que o Messias viria para reinar e livrá-los das mãos dos seus opressores. Todos eles tinham uma expectativa do reino, e eles sendo os seus apóstolos certamente teriam um lugar de destaque. Tanto é assim que certa vez os filhos de Zebedeu, pediram-lhe para dar-lhes um lugar relevante no seu reino, isto é, assentar-se um a sua direita e outro a sua esquerda (Mc. 10.35 e 37).

Certa vez suscitaram uma discussão para saber quem dentre eles era o maior e Jesus disse: "...porque aquele que entre vós todos for o menor, esse mesmo é grande" (Lc. 9.48). Todos eles estavam cheios de soberba, a ponto dos mesmos João e Tiago desejarem consumir a fogo uma aldeia de samaritanos, por eles recusarem a passagem de Jesus quando subia para Jerusalém (Lucas 9.51-56).

Foram enviados a pregar, curar os enfermos e receberam poder para pisar toda a força do inimigo (Lc. 10.19). Assim eles se encontravam, mas Jesus tinha um propósito para eles depois da sua ressurreição e para a edificação da Sua Igreja, a qual iria morrer por ela. Então começou a dar-lhes um caminho de quebrantamento.

Primeiramente muitos que o seguiam o deixaram depois do seu duro discurso; somente os doze permaneceram antes da sua morte (João 6.60-71). Desde então ele também dava testemunho da traição de Judas. Em seguida Pedro o negou e depois todos o deixaram. Não terminou totalmente só porque o Pai estava com ele (João 16.32).

Quando Jesus ressuscitou reuniu novamente os seus, e por um período de 40 dias apareceu a cerca de 500 pessoas, e lhes falou acerca do reino (I Cor. 15.6, Atos 1.3). Desses 500, somente 120 estavam no cenáculo perseverando unânimes em oração esperando o Pentecostes (Atos 1.14). Olhando para este relato, como se encontravam agora essas 120 pessoas? Será que com a mesma soberba anterior? Será que ainda pensavam quem dentre eles era o maior? Certamente que não.

Como será que estava Pedro neste novo chamamento do Senhor para ele? Quebrantado. "Mas ide, dizei a seus discípulos, e a Pedro, que ele vai adiante de vós para a Galiléia" (Mc. 16.7). E todos os outros os quais o Senhor lançou em rosto a sua incredulidade (Mc. 16.14)? Extremamente quebrantados. E sua mãe e seus irmãos? Todos com certeza também quebrantados. Da mesma maneira que todos tiveram que ser quebrantados, conhecendo as suas próprias fraquezas, incredulidade e infidelidade para entrar no ministério do Senhor Jesus (Atos 1.17), nós também necessitamos ser.

Se o Senhor colocar qualquer um de nós no Seu ministério sem o quebrantamento, com toda certeza iremos nos exaltar, e desejar a primazia. Se ainda não fomos quebrantados pelo Senhor, e ainda não conhecemos a nossa real situação de fraqueza e infidelidade, não estamos aptos e não temos parte ainda no Seu ministério.

Design downloaded from free website templates.