A arca

A primeira coisa do tabernáculo a ser mencionada por Deus é a arca (Ex. 25:10-22). Deus tinha expresso seu desejo de que lhe construíssem uma casa onde habitar; havia dito que deviam reunir os materiais, e sobre tudo, que tudo devia ser feito conforme o modelo que seria mostrado a Moisés no monte.

As instruções agora começam, e a primeira coisa a ser mencionada é a arca. Tem importância a ordem em que os móveis do tabernáculo são mencionados e descritos? Sem dúvida nenhuma, porque o arca tipifica a Cristo. O tabernáculo em seu conjunto representa à igreja (composta por ex-judeus e ex-gentis), e dentro dela o mais importante é o Senhor Jesus Cristo. O centro da atenção de Deus é Jesus Cristo.

Sabemos que a arca devia localizar-se no Lugar Santíssimo, e este , por sua vez, era o lugar mais importante de todo o tabernáculo. Com efeito: O tabernáculo era o ponto central do acampamento no deserto. Dentro do tabernáculo, o lugar principal era o Lugar Santíssimo, e dentro deste Lugar, o centro de toda a atenção era a arca do testemunho. Tudo parte da arca; se a arca estava em seu lugar, todo o resto estava bem.

O fundamento em toda edificação de Deus é Jesus Cristo. O Senhor disse a Pedro: "Sobre esta pedra (a revelação de Cristo) edificarei a minha igreja" (Mt. 16:18). Paulo disse: "Porque ninguém pode pôr outro fundamento além do que já está posto, o qual é Jesus Cristo" (1ª Cor. 3:11). Pedro disse, citando o profeta: "A pedra que os edificadores rejeitaram, veio a ser cabeça de esquina" (1ª Pd. 2:7), e essa pedra é Jesus Cristo.

O arca era de madeira de acácia, recoberta inteiramente de ouro, por dentro e por fora; o qual representa a perfeita humanidade (madeira) do Senhor Jesus Cristo, e também sua perfeita divindade (o ouro). A arca tinha quatro anéis, pelos quais passavam duas varas, para transportá-la. Isto significa que a arca se movia. É a presença de Deus que ia no meio de seu povo, em seu caminhar cotidiano. Assim também, Cristo é transportado por seus sacerdotes, sobre seus ombros, como naquele episódio do passagem do rio Jordão. Cristo não aceita ser levado sobre um veículo, como aquela carreta que usou David, e que Deus reprovou, senão sobre os ombros e o coração dos que lhe amam.

Quando se transportava a arca, ficava sobre ela o véu da tenda e a cobertura de peles de texugos, mas sobre tudo isto ia um pano azul (Núm. 4:5-6). Era o único móvel do tabernáculo que aparecia o azul por fora, tipificando com isto o caráter ressuscitado do Senhor Jesus Cristo, diferente de todo o resto, que levava o pano azul por dentro, porque a vida divina ainda está oculta nos crentes.

Dentro do arca iam três coisas, a maneira de testemunho: as tábuas da lei, uma arca com o maná, e a vara do Arão que reverdeceu. Elas nos mostram três aspectos preciosos de Cristo: Cristo, como expressão do caráter de Deus; como pão da vida; e como a ressurreição. Os que têm a Cristo têm a Deus na plenitude.

Design downloaded from free website templates.