Desatando o jumentinho

O Senhor está vivendo os seus últimos dias como servo na terra. Aproxima-se de Jerusalém, e envia dois discípulos a uma aldeia próxima para que lhe tragam um jumentinho. O Senhor lhes dá instruções precisas: "Se alguém vos disseres: Por que fazem isso? Digam que o Senhor precisa dele..." (Mar. 11:3).

É tão curioso e instrutivo o fato que o Senhor tenha necessitado de um jumentinho! Por umas horas, esse animal "filhote de animal de carga" cumpriu uma função importante no ministério do Senhor. Jesus necessitou de um jumentinho! Um animal comum e sem atrativo algum. Um animal que nenhum general teria usado para uma revista militar, foi requerido pelo Senhor dos senhores.

Este jumentinho tinha, além disso, toda a pujança e o brio de que nunca tinha sido montado. Pode ter resistido. Mas ele se deixou levar, e aceitou. Toda a sua incitação desapareceu ao sentir o Senhor sobre os seus lombos. A criatura reconheceu o seu Criador e se inclinou, dócil, diante dele.

Nós temos muita semelhança com este jumentinho. Do mesmo modo que ele, somos filhos de animal de carga, pois procedemos de uma raça caída, cansada e trabalhada, sem horizontes, pois o pecado nos separou de Deus. Do mesmo modo que ele, também estivemos muito tempo atados, sem nenhuma possibilidade de prestar serviço algum, nem ao menos ser considerados para servir a Deus.

No entanto, o Senhor um dia disse: "Desatem o jumentinho", e em seguida adicionou: "Digam que o Senhor o necessita". Essas palavras não só foram ditas para referir-se a aquele jumentinho: também nos alcançaram, e então ficamos livres. Que grande honra! Tão extraordinário é que possamos servir-lhe como extraordinário foi que um jumentinho pudesse servir ao Senhor aquele dia em Jerusalém. Se algum filho de Deus está ainda amarrado, saiba que o Senhor já o fez livre e que Ele o requer. O tempo da escravidão já passou, agora é tempo de ficar a disposição para que o Rei o ocupe.

No entanto, há uma lição a mais que aquele jumentinho nos ensina. Na hora de servir ao Senhor, quando ele nos concede o privilégio de levá-lo nas costas, costumam acontecer coisas estranhas.

Quando o Senhor entrava em Jerusalém, a Bíblia diz que ele passando estendiam os mantos, que cortavam ramos das árvores e os estendiam no caminho. As pessoas alvoroçadas aclamavam dizendo: "Hosana ao Filho de Davi! Bendito o que vem no nome do Senhor! Hosana nas alturas!". Diante dessa manifestação tão eufórica, o jumentinho poderia pensar –se é que tivesse podido pensar– que tais expressões eram em sua honra? Podemos imaginar o jumentinho falar com Jesus desta maneira: "Ouve o que dizem? Realmente sou magnífico".

Com tristeza devemos reconhecer que muitos servos de Deus chegam a pensar que os aplausos e os vivas são para nós, e talvez sejamos mais néscios que o jumentinho. No entanto, graças a Deus, apesar disto e correndo um grande risco, o Senhor Jesus deseja ser levado por nós. Nos negaremos? É toda a nossa glória!

Design downloaded from free website templates.