Exemplos no sofrimento

A igreja em Tessalonica era uma igreja sofrida, mas uma igreja formosa. Tal como Esmirna, a qual disse o Senhor: "Eu conheço as tuas obras, e tua tribulação, e a tua pobreza (mas tu és rico)" (Ap. 2:9). Da mesma maneira, o Espírito Santo, através de Paulo consola os Tessalonicenses em meio às suas tribulações, fazendo-lhes notar a imensa riqueza que eles possuíam.

Logo que receberam a palavra de Deus, brevemente chegaram a ser um exemplo para os da Macedônia e para os da Acáia. Paulo lhes diz: "...em todo lugar a vossa fé em Deus se estendeu de modo que nós não temos necessidade de falar nada" (1ª Tes. 1:8). Eles se amavam entre si, de tal maneira que Paulo lhes diz: "Mas sobre o amor fraternal não tens necessidade de que vos escreva", e não só entre eles, mas também aos irmãos de toda a Macedônia.

As Epístolas aos Tessalonicenses estão cheias de louvores a Deus e de elogios à igreja. Qual era a causa da sua formosura? Eles tinham sido depurados pelas tribulações. "Haveis padecido pelos da vossa própria nação as mesmas coisas que elas (as igrejas da Judéia) padeceram dos judeus" diz-lhes Paulo na Primeira Epístola. E acrescenta na Segunda: "Nós mesmos nos gloriamos de vós nas igrejas de Deus, por sua paciência e fé em todas as vossas perseguições e tribulações que suportais" (2ª Tes. 1:4).

Da mesma maneira, Paulo dedica muito tempo a falar-lhes da Segunda Vinda de Cristo. Na Primeira Epístola está a descrição mais vívida da 'parusía' do Senhor Jesus Cristo. O que pode consolar mais que isso? O mesmo ocorria com os cristãos escravos nos Estados Unidos no século XIX, os seus cantos estão cheios de esperança na vinda do Senhor. Os Tessalonicenses são consolados "...para que não vos entristeçais como os outros que não têm esperança" (1ª Tes. 4:13). "...portanto, consolai-vos uns aos outros com estas palavras" (4:18).

O gozo do apóstolo se expressa uma e outra vez por causa da amada igreja: "Porque qual é a nossa esperança, ou gozo, ou coroa, de que me glorie? Não sois vós, diante de nosso Senhor Jesus Cristo, em sua vinda? Vós sois a nossa glória e gozo" (1ª Tes. 2:19-20). "No meio de toda a nossa necessidade e aflição fomos consolados de vós por meio da vossa fé" (3:7).

Quando Paulo se inteirou de que eles tinham sabido das tribulações dos apóstolos, se afligiram (não por suas tribulações, mas pelo efeito de tristeza que elas podiam ter provocado nos irmãos), e enviaram a Timóteo para lhes consolar; "...receando que o tentador vos tivesse tentado, e que o nosso trabalho resultasse em vão" (1 Tes. 3:5). Que relação mais calorosa entre o apóstolo e a igreja! Ele se esquece de si mesmo para pensar só neles e lhes consolar pelas más notícias que tinham recebido.

A beleza de uma igreja, como também a de um cristão, é a que os sofrimentos lhe deixam, quando eles conduzem à fé e ao acatamento. Tal como nos deu exemplo o próprio Senhor Jesus Cristo, quem "...aprendeu a obediência por aquilo que padeceu; e tendo sido aperfeiçoado, veio a ser autor de eterna salvação para todos os que lhe obedecem" (Heb. 5:8-9).

Design downloaded from free website templates.