Se não tenho fé, poderei ser salvo?

Richard Wurmbrand, famoso pastor romeno, conta que em sua juventude, sendo um ateu, orava assim: "Deus, tenho o convencimento absoluto de que você não existe; mas se por acaso existir, coisa que duvido, não é meu dever crer em ti, mas sim é sua obrigação te revelar a mim". Em pouco tempo, Deus lhe revelou, e chegou a ser um servo de Deus.

Há muitas pessoas que não têm fé para serem salvas. Embora se esforcem, não podem crer, e pensam que nunca poderão alcançar a salvação de Deus. Quando o Senhor Jesus esteve na terra, salvou a muitos. Alguns tinham uma fé muito grande, outros nem sequer criam, e até outros vieram a ele com uma fé emprestada. E todos foram salvos.

Uma vez se aproximou um leproso lhe dizendo: "Senhor, se quiseres, podes me limpar" (Mateus 8:2). Era suficiente para ele o que o Senhor quisesse. Não era assunto se o Senhor podia, mas sim se queria. Que fé mais profunda! Outra vez veio a ele uma mulher enferma de fluxo de sangue, que dizia dentro de si: "Se tão somente tocar seu manto, serei salva" (Mateus 9:21). Ela sabia que havia tal poder nele que bastava esse gesto, e seria operado o milagre. Estas pessoas tomaram a iniciativa, e é obvio, obtiveram do Senhor o que pediram.

Temos o caso de um homem que foi salvo pela fé de outros: aquele paralítico a quem seus amigos o puseram em uma maca e o levaram a casa onde estava Jesus. Não podendo entrar, por causa da multidão, eles tomaram a seu amigo, fizeram uma abertura no teto, e o baixaram aos pés do Senhor. O Senhor Jesus, "ao ver a fé deles", sarou o doente (Marcos 2:1-5). Não foi o doente quem tomou a iniciativa de aproximar-se do Senhor, mas sim seus amigos.

Mas há até outros casos mais dramáticos, como o daquela pobre mulher encurvada, que fazia 18 anos não podia erguer-se. Quando Jesus a viu, chamou-a. Não lhe perguntou se tinha fé ou se queria ser curada. Só lhe disse: "Mulher, estas livre da tua enfermidade!". E ela foi sã (Lucas 13:10-13). No tanque de Betesda, muitos doentes esperavam que baixasse um anjo do céu para que tocasse a água. Portanto, o primeiro doente que entrava na água, era curado. Um deles, um paralítico, tinha estado ali 38 anos, e não podia ser curado, porque sempre se lhe adiantava outro. O Senhor se aproximou e não lhe perguntou se tinha fé. Só lhe perguntou: "Quer ser são?". E lhe sarou.

Estes dois últimos casos representam à humanidade sofrida, desprezada. São os derrotados da vida, que presenciaram como outros triunfam, enquanto a sorte lhes virou as costas. Mas até a eles veio o Senhor. Basta estar perto dele para ser alcançado por sua mão carinhosa, basta aproximar-se e lhe abrir o coração para que ele passe a morar.

Ainda hoje, o Senhor pergunta a todo aquele que sofre: "Quer ser são? Quer ser salvo?". Basta que você lhe diga "Sim", e lhe salvará e lhe curará.

Design downloaded from free website templates.