Uma nova criação

A realidade de um cristão mostra um contraste vivo com qualquer forma de religiosidade. Tomemos o judaísmo ou qualquer outro "ismo" que exista no mundo, o que é que encontraremos? Não é invariavelmente algo para melhoramento do primeiro homem? Mas, o que é o verdadeiro cristianismo? É algo inteiramente novo, espiritual, divino; está apoiado na cruz de Cristo, onde o velho homem foi crucificado e retirado da listagem de Deus para sempre.

A cruz encerra a história do primeiro homem. "Eu estou crucificado com Cristo", diz o apóstolo (Gál. 2:20). É isto somente palavrório ou está apoiado na poderosa palavra do Espírito Santo? O verdadeiro cristianismo começa com a sepultura aberta do Segundo Homem, para continuar sua brilhante carreira para a glória eterna. É uma nova criação, na qual não há absolutamente nada das coisas velhas, porque todas são feitas novas.

Que descanso! Que doce alívio para as pobres almas sobrecarregadas que procuraram inutilmente encontrar a paz por seus próprios meios; que libertação do legalismo da lei encontrar o precioso segredo de que minha culpabilidade e minha ruína, toda minha decadência, todas estas coisas que eu estive tratando, por todos os meios, em mim mesmo para melhorar, foram completamente e para sempre postas de lado; que Deus não está procurando fazer nenhuma emenda em minha natureza; que a condenou e a levou na cruz de seu Filho.

Podemos dizer verdadeiramente que o esforço mais bem-sucedido de Satanás contra a verdade do evangelho, ao contrário do verdadeiro cristianismo do Novo Testamento, está no fato de guiar às pessoas não convertidas a apropriar-se e a aplicar-se aos regulamentos de uma religião cristã e professar muitas doutrinas. Desta forma cegam os seus olhos para a sua verdadeira condição arruinada e culpável, e assim dá um duro golpe no puro evangelho de Cristo.

A melhor peça que se pôde por das velhas vestimentas da natureza arruinada do homem é a profissão de um cristianismo vazio. Marcos 2:21 diz: "Ninguém põe remendo de pano novo em vestido velho; de outra maneira, o mesmo remendo novo rompe o velho, e se faz pior a ruptura".

"Porque eu pela lei estou morto para a lei, a fim de viver para Deus. Com Cristo estou juntamente crucificado, e já não vivo eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne, vivo-a na fé do Filho de Deus, o qual me amou e se entregou a si mesmo por mim" (Gál. 2:19-20). Isto e não outra coisa é o verdadeiro cristianismo; não o velho homem se tornando religioso. Não, é a morte e a sepultamento do velho homem, que nos torna um novo homem em Cristo. É passar da velha criação para a nova criação, do velho estado de pecado e de morte, para um novo estado de vida, de retidão em um Cristo ressuscitado e glorificado, o Cabeça de uma nova criação, o último Adão. Esta é a posição inalterável do mais frágil crente em Cristo. (C.H.M).

Design downloaded from free website templates.