Reinar em vida

O final de Romanos capítulo 5 nos dá uma importante conclusão do que veio nos dizendo nos capítulos anteriores a respeito da graça, a justiça e a obediência. Em 5:15 diz: "pela graça de um homem, Jesus Cristo". Em 5:18 diz: "pela justiça de um...", e em 5:19: "pela obediência de um...". A graça e a justiça são possíveis. Tudo isto está ao nosso alcance pela obediência de nosso Senhor Jesus Cristo.

De maneira que estas coisas não estão em nós, não são da nossa ação. Podemos exclamar como Paulo, pouco antes nesta epístola: "Onde, pois, está a jactância? Fica excluída" (3:27). A graça, a justiça e a obediência nos são dados em Jesus Cristo porque ele pagou a conta que havia contra nós. Ele tirou a condenação que pendia sobre as nossas cabeças, recebendo em si mesmo a ira de Deus, que era em razão do nosso pecado.

Para nós é graça, é justiça, mas para o Senhor foi sacrifício cruel, redenção por seu sangue; posta, à maneira dos sacrifícios nos tempos da lei, sobre o propiciatório. Deus o pôs ali como Vítima sobre o altar dos sacrifícios, e em seguida seu sangue posto sobre o arca, para que, pelo outro lado, por nosso lado, a sua morte se convertesse em vida para nós.

A obediência de Cristo o levou a morte, e de sua morte surgiu para nós a graça e a justiça de Deus. Todos os dons de Deus para nós passam pela morte. Se a morte é experimentada pelo Senhor, então só recebemos a vida. E aquela parte de sua morte que nós experimentamos, converte-se em vida para outros. Como diz Paulo: "De maneira que a morte atua em nós, e em vós a vida" (2ª Cor. 4:12).

O Senhor foi por toda parte experimentando a morte em si mesmo, ou, dizendo em outras palavras, carregando a cruz. Ele viveu toda a sua vida sob o princípio da cruz, quer dizer, negando-se a si mesmo. Para nós também está traçado este caminho.

Entretanto, aqui, no princípio da nossa vida cristã, quando recém saímos da morte, é pela graça e a justiça de um Homem, Jesus Cristo, que nós vivemos. É por sua obediência que somos constituídos justos. É por sua cruz que recebemos a vida. Entretanto, agora, como presente de Deus, estas coisas estão em nós. E ainda mais, o desejo de Deus é que estas coisas abundem em nós, e que reinemos nelas.

Este é o fim, o propósito de Deus. Que assim como recebemos a graça, a justiça e a obediência por um homem, Jesus Cristo, por ele mesmo, nós reinemos em vida. "Pois se pela transgressão de um só reinou a morte, muito mais reinarão em vida por um só, Jesus Cristo, os que recebem a abundância da graça e o dom da justiça" (5:17). Há um reino silencioso, singelo, mas feliz no coração daqueles que têm a Jesus Cristo como justiça e como vida! Bem-aventurados!

Design downloaded from free website templates.