Uma revista para todo cristão
Ano 10 · Nº 57
Maio - Junho 2009

Nisto conhecerão

“Nisto conhecerão todos que sois meus discípulos, se tiveres amor uns aos outros” (João 13:35).

Nos dias como os que vivemos, nos quais se substitui o amor pela conveniência, o êxito e a força, as palavras do Senhor tornam a ressonar peremptórias. O amor de Cristo em seu ministério e na cruz foi algo tão evidente, tão visível e prático, que se torna evidente até para o mais cego. Não consiste em palavras, nem em boas intenções, mas na real expressão do amor de Deus para com o homem.

Neste versículo –que forma parte do último discurso do Senhor aos seus discípulos– trata-se do amor fraternal, do qual falarão insistentemente também Paulo, Pedro e João. “Amai-vos uns aos outros com amor fraternal”. “Mas sobre o amor fraternal não tens necessidade de que vos escreva...”. “Permaneça o amor fraternal”. “…o amor fraternal não fingido”. “...sede todos de um mesmo sentimento, compassivos, amando-vos fraternalmente, misericordiosos, amigáveis...”. “acrescentai... à piedade, afeto fraternal”. “Aquele que não ama a seu irmão, permanece na morte”.

É o ‘filadelfos’ grego – a característica básica daquela igreja aprovada pelo Senhor em Apocalipse capítulo 3. É o vínculo perfeito, a cola que une as pedras vivas do edifício, é o lubrificante que suaviza as relações entre os filhos de Deus. Sem este amor fraternal, a igreja é um lugar obscuro, desanimado e sem atrativo.

O amor fraterno acolhe o irmão da mesma maneira como Deus recebeu a seus filhos – cheios de imperfeições, feridas e complexos. É um amor que se compromete com o outro, não simplesmente dando receitas para que outros o façam. “Irmãos e irmãs, não tenham medo de expressar os seus afetos; não tenham medo de necessitar do outro. Os afetos têm sido dados por Deus para vivermos de forma ampla e generosamente a sua vontade. São para o serviço do coração do Pai”, nos estimula Marcelo Díaz no artigo que encabeça esta edição.

Que o Senhor nos ajude a viver o seu mandamento, e a fazê-lo sem deixar feridas.

 

TEMA DA CAPA
Crescendo no amor fraternal
Os afetos foram postos por Deus para vivermos de forma ampla e generosamente a sua vontade. Marcelo Díaz.
Os vencedores e a herança (2)

Como Deus cumprirá o seu propósito de levar muitos filhos à glória.
Rodrigo Abarca.
A respeito das coisas opináveis

Assuntos nos quais não precisamos pensar igual para sermos irmãos e para seguirmos juntos.
Rubén Chacón.
O Hóspede ignorado

Nós estamos hoje reconhecendo o tempo da nossa visitação?
Gonzalo Sepúlveda.
Mostra-me o Teu caminho (3)
As obras, os caminhos e o propósito de Deus.
Dana Congdon.

LEGADO
O desafio do amor
O amor como base do crescimento espiritual da igreja. T. Austin-Sparks.

ESPIGANDO NA HISTÓRIA DA IGREJA
Tradutor da Verdade
Biografia de Casiodoro de Reina, principal tradutor da Bíblia conhecida como Reina-Valera.

SEÇÕES FIXAS
Página do Leitor
Pequenas delícias da mesa do Rei

EQUIPE REDATORA
Eliseo Apablaza, Roberto Sáez
Gonzalo Sepúlveda, Rubén Chacón
Rodrigo Abarca, Marcelo Díaz

COLABORADOR CONVIDADO
Dana Congdon

TRADUÇÕES
Edward Burke Junior

CONTATOS
BRASIL: Edward Burke Junior · Rua Escócia N. 620, Apto. 304, Jardim Adriana II, 86046-230 Londrina, PR
(0XX43)30272539 E-MAIL: vidadecristo@pop.com.br