Marido e mulher

Lições básicas sobre a vida cristã prática.

Watchman Nee

"Casadas, estejam sujeitas a vossos maridos, como convém no Senhor. Maridos, amai a vossas mulheres, e não sejais ásperos com elas" (Colossenses 3:18-19).

Em primeiro lugar, toda pessoa casada –marido ou esposa– precisa compreender que ser um marido ou uma esposa é um assunto muito sério.

Antes que alguém possa iniciar-se em uma profissão, deve ser adequadamente preparado. Ser um médico requer vários anos de universidade, além de um tempo de formação; um professor passará quatro ou cinco anos estudando pedagogia; um engenheiro deve cursar cinco ou mais anos na universidade; uma enfermeira tem que estudar quatro anos em uma escola de enfermaria.

Não é estranho, então, que alguém possa ser um marido ou uma esposa sem sequer ter um dia de treinamento? Não é de se assombrar que haja tantos maridos e esposas fracassados. Eles nunca aprenderam como ser!

Se eu estiver doente, me confiaria aos cuidados de um médico ou enfermeiro inexperiente? Se precisar de alguém para ensinar o meu filho, pediria ajuda de uma pessoa iletrada? Se for construir uma casa, me atreveria contratar um arquiteto não qualificado? Então, é possível crer que um homem possa ser um bom marido, ou uma mulher ser uma boa esposa, se nunca aprenderam como sê-lo?

Portanto, todos os irmãos e irmãs casados devem aprender a assumir a sua responsabilidade diante de Deus. Visto que o casamento é mais difícil que qualquer outra profissão, ninguém deveria se demorar em aprender diligentemente como vivê-lo.

Feche seus olhos

A primeira coisa que precisam aprender depois de se casarem é a fechar os seus olhos para não ver.

Quando duas pessoas vivem juntos como marido e mulher, dia após dia, ano após ano, sem férias ou licenças por enfermidade, cada um terá um tempo suficiente para descobrir as fraquezas do outro. Assim, tão logo que esteja casado, deverá fechar os seus olhos.

O objetivo do casamento não é descobrir as fraquezas do seu parceiro. Lembre-se, ela é sua esposa, não sua aluna; ele é seu marido, não seu aprendiz. Não é requerido a você procurar as dificuldades e fraquezas de seu parceiro com o fim de ajudar e corrigir. Uma família deveria ser construída sobre uma base sólida. Portanto, antes de se casar, terá que abrir bem os olhos para compreender tudo, inclusive as possíveis dificuldades. Mas depois que se casar, já não deves procurar entender mais nada.

Se quiser buscar erros, terá muitas ocasiões para fazê-lo. Visto que Deus os tem colocado juntos, ambos têm muito tempo para descobrir as deficiências do outro. Por esta razão, a primeira coisa que você deve fazer, os irmãos e irmãs casados é fechar os olhos diante das dificuldades e fraquezas da outra parte. Já verás o suficiente sem olhar! E quantas mais dificuldades haverá se você buscar propositalmente!

Ao unir duas pessoas como marido e mulher, Deus dispôs que haja sujeição e amor na família. Não pede ao marido e à mulher que encontrem e corrijam os defeitos do outro. Ele não estabeleceu os maridos para serem instrutores de suas esposas ou às esposas para serem professoras de seus maridos.

Um marido não precisa trocar de esposa, ou uma mulher a seu marido. Qualquer que seja o caráter da pessoa com quem se casar, deve esperar viver com isso por toda a vida. Não procure deliberadamente dificuldades e fraquezas com o fim de ajudar. Tal conceito de ajuda é basicamente errôneo. As pessoas casadas devem aprender a fechar os olhos. Devem aprender a amar, e não a ajudar ou a corrigir.

Aprender a ajustar-se

Ajustar-se é uma lição que requer ser aprendida imediatamente depois do casamento. Não importa quão parecidas sejam as disposições do casal, cedo ou tarde descobrirão muitas diferenças. Eles ainda têm diferentes pontos de vista, preferências e aversões, opiniões e inclinações. Portanto, depois de se casar, devem aprender logo a adaptar-se um ao outro.

1. Chegar a uma solução intermediária

O que se entende por adaptar-se? Significa que você irá procurar encontrar uma solução intermediária. É melhor se isto for mútuo; mas no caso de não haver reciprocidade, você pode pelo menos ter meia concessão. Entretanto, muitos problemas se resolverão se você puder se comprometer a chegar a um acordo. Quando isto não for possível, o melhor é procurar uma solução intermediária.

Em outras palavras, depois que o irmão e a irmã se converteram em marido e mulher, ambos deveriam aprender a fazerem ajustes em todas as coisas. Se puderem ajustar plenamente, tudo bem; caso contrário, se adapte pelo menos na metade.

Aprenda a procurar um acordo com o outro. Não insista em suas opiniões, estando sempre disposto a mudar seus pontos de vista. Embora tenha suas ideias, procure se acomodar aos pensamentos do seu parceiro.

2. Aprenda a negar-se a si mesmo

Como cristãos, devemos aprender a nos negar a nós mesmos. Negar-se a si mesmo significa ajustar-se aos outros. Tanto o marido como a esposa deveriam aprender a serem mais flexíveis. Então, pelo menos haverá paz na família. Onde há abnegação, haverá ajuste. Onde não existe sacrifício, a harmonia também estará ausente.

Seja apreciativo e sensível

Uma vez que esteja casado, deve aprender imediatamente a apreciar os pontos fortes do seu parceiro.

1. Reconheça os pontos fortes do outro

Não só devemos ser complacentes e fechar os olhos diante das fraquezas; também devemos aprender a valorizar os pontos fortes da outra parte. Devemos ser sensíveis às coisas que são bem feitas. As relações familiares sofrerão muito se o marido não sabe apreciar a sua esposa, ou se a esposa não valoriza o seu marido.

Lembrem, não necessitamos adular as nossas esposas, nem procurar satisfazer a vaidade dos nossos maridos. O que precisa é apreciarem-se mutuamente. Aprender a ver as partes fortes, as virtudes e a beleza do outro.

2. Dê a conhecer a sua apreciação

A apreciação de um marido por sua esposa não deve ser menor que a de qualquer outra pessoa. Sua apreciação pode não ser maior, mas ao menos não deve ser menor que a de outras pessoas. Por que se casou com ela se despreza o seu valor? Ou a sua percepção era errônea, ou então está errando agora.

O mesmo se aplica à esposa. Por que se casou com esse homem se sentia que era uma pessoa errada? Você é que deve estar errada. Para ter uma família feliz, o reconhecimento mútuo é essencial. Não deixem que outros elogiem o seu parceiro enquanto você o critica.

Observe os pontos fortes do seu parceiro e seja consciente de suas virtudes. Quando tiver a oportunidade, confesse publicamente o que tem observado e sentido. Isto não é ser pretensioso, porque está dizendo a verdade. Quando o marido e a esposa se valorizam mutuamente desta maneira, o vínculo familiar é fortalecido.

Seja cortês

Em toda família deve haver cortesia. É abominável a falta de cortesia. Nós deveríamos ser corteses com todo mundo. Por mais familiarizado que você possa ser com uma pessoa, a perderá como amiga se não tiver educação. Paulo nos diz que o amor «não faz nada indevido» (1 Cor. 13:5).

Muitas vezes, os problemas familiares são causados por pequenas coisas. O tempo em que uma pessoa é menos amável é quando está em casa. Pensa que, como sua esposa ou seu marido é a pessoa mais íntima, pode ser menos considerado. Mas deve se lembrar que a cortesia embeleza o contato humano. Uma vez que esta desaparece, todas as partes feias da vida serão reveladas.

Por mais familiares que sejam as pessoas, a cortesia deve ser mantida. Um irmão explicou bem isto dizendo que a cortesia é como o azeite lubrificante de uma máquina. Sem cortesia haverá fricção e sentimentos desagradáveis.

Deixe crescer o amor

Para que uma família tenha sucesso, o amor deve crescer continuamente, e não deve morrer. O amor requer ser alimentado pela adaptação, o sacrifício, a abnegação, a compreensão, a simpatia e o perdão. Tudo isto deve ser repetido uma e outra vez. Se for nutrido, o amor pode crescer lindamente. Mas se as pessoas não buscam o prazer dos outros, mas apenas o seu próprio bem-estar, o seu amor logo se enfraquecerá e morrerá.

Renuncie ao egoísmo

Outra condição importante da vida familiar é não ser egoísta.

1. Procure agradar o outro

Se está casado, viva como uma pessoa casada. Não deverá agir como uma pessoa solteira. A palavra de Deus diz: «o casado tenha cuidado das coisas do mundo, de como agradar a sua mulher… (e) a casada tenha cuidado das coisas do mundo, de como agradar ao seu marido» (1 Cor. 7:33-34). Provavelmente a maior dificuldade que uma família encontra é o egocentrismo.

Permitir a liberdade, a privacidade e as posses privadas

Na família, cada um deve permitir ao outro certa liberdade, privacidade e posses privadas. Tanto o marido como a mulher devem aprender a dar liberdade ao seu parceiro. Cada um deve ter seu próprio tempo, dinheiro e pertences. O fato de que exista uma relação de marido e esposa não é razão para que estas coisas sejam usurpadas. Precisam aprender a manter o seu lugar. Do contrário, algo pequeno como isto pode causar um grande conflito.

Cada marido e cada mulher deveria ter a sua própria privacidade. Isto é perfeitamente legítimo. É lícito para a mão esquerda fazer algo sem notificar à mão direita (Mat. 6:3). Portanto, aprenda a respeitar o privilégio individual de certa intimidade. Isto ajudará a evitar muitos problemas.

Aprenda a resolver os problemas

Agora, como resolver os problemas familiares? Os maridos não podem evitar ter algumas diferenças e dificuldades. Mas, sendo eles adultos e filhos de Deus, devem entender primeiro onde estão as suas diferenças e dificuldades. Antes de tentar resolver qualquer assunto, é preciso saber onde está o problema. Depois de identificar onde está o conflito, será possível procurar a sua solução.

É melhor que o marido e a esposa conversem sobre as coisas. Os de fora não devem interferir no princípio, embora mais tarde possa haver ocasião para ajuda. Em primeiro lugar, é bom que as duas pessoas troquem livremente os seus pontos de vista. Os sucessos não deveriam ser conhecidos por outros e ser divulgados enquanto ainda não foram tratados em casa.

Às vezes, as coisas relacionadas ao marido são conhecidas em muitos lugares, e, entretanto, o marido as ignora. As coisas entre marido e mulher devem ser ditas um ao outro. Promova uma ocasião para um conselho de família. Antes de falar, deixe que o parceiro termine a sua própria exposição. Evite falar monopolizando a conversação. O marido deve ouvir a esposa e a esposa ao marido.

Quando se sentarem para falar, discutam seus conflitos objetivamente. Se o fizerem de maneira subjetiva, o diálogo não terá êxito. O propósito de sua conversa é descobrir o que é o correto. Ninguém sabe quem tem a razão, assim ambos devem desejar encontrar a verdade. Vocês devem falar e em seguida orar.

Procurem uma solução através da oração. Peçam ao Senhor que lhes faça entender onde está o problema. Geralmente, ao orar pela segunda vez, a maioria dos assuntos são resolvidos. O problema de muitos é que não se sentaram para escutar objetivamente. Quando o fazem, a metade de sua dificuldade estará resolvida; logo serão capazes de descobrir o foco real do problema.

Muitas vezes, na vida familiar, o marido e a esposa precisam confessar e se perdoar mutuamente. Não se trata apenas de passar por cima dos seus defeitos, mas devem confessá-las. Cada um deve confessar a sua própria culpa e perdoar a culpa do outro.

Quando tiver culpa, confesse. Mas o que deve fazer quando a culpa é do seu parceiro? Lembre-se que a sua relação familiar é como todas as outras relações cristãs. Quando a outra parte está errada, aprenda a perdoar em lugar de indagar.

Porque o amor «não guarda rancor» (1 Cor. 13:5). O amor não registra cada erro; ao invés disso, aprende a perdoar. Logo que um pecado é perdoado, é esquecido. O amor não se comporta como Pedro em Mateus 18, contando cada pecado e limitando a medida do perdão. O perdão real não leva em conta o tempo; pecado perdoado é pecado esquecido. Para que uma família prospere, deve haver perdão.

Vivendo juntos diante de Deus

Para resolver os problemas familiares e viverem felizes juntos, é necessário que o casal tenha uma vida real de comunhão diante de Deus. Em especial os pais com filhos devem encontrar tempo para orarem juntos. Cada casal necessita desse tempo para esperar em Deus e para dialogar sobre as coisas espirituais.

Tanto o marido como a esposa devem aceitar mansamente o juízo da luz de Deus. O marido não deve tentar salvar as suas aparências; tampouco a esposa. Deve haver companheirismo. Passar tempo em oração e dialogarem juntos. Para ter uma boa família, ambos devem viver diante do Senhor.

Traduzido do Spiritual Exercise, cap. 33.

Design downloaded from free website templates.